Assédio moral nas empresas de telemarketing

Por Watson Pacheco da Silva* | Foto: Shutterstock | Adaptação web Caroline Svitras

Assédio moral é uma ocorrência comum nas empresas de telemarketing e, por isso, constitui-se num dos temas que mais têm sido discutidos na atualidade, no que se refere ao trabalho e ao trabalhador.

 

Na verdade, a questão é tão antiga quanto o próprio trabalho, mas a sua manifestação jamais se deu de forma tão contundente como agora. O conceito, apesar de não ser tão recente, vem recebendo um destaque maior na mídia e nos meios jurídicos e políticos nos últimos tempos, em razão da tendência atual de humanização das relações de trabalho.

 

O assédio moral consiste na exposição do indivíduo a situações humilhantes e constrangedoras, geralmente repetitivas e prolongadas, durante o horário de trabalho e no exercício de suas funções, situações essas que ofendem a sua dignidade ou integridade física. Cabe destacar que, em alguns casos, um único ato, pela sua gravidade, pode também caracterizá-lo.

 

Pode-se dizer que o assédio moral é toda e qualquer conduta que pode se dar com palavras, ou mesmo gestos ou atitudes, e que traz dano à personalidade, à dignidade ou à integridade física ou psíquica do assediado, pondo em risco seu emprego, ou degradando o ambiente de trabalho.

 

Assédio sexual no trabalho

 

O objetivo do assediador, comumente, é motivar o trabalhador a pedir demissão ou a cumprir metas, ou simplesmente humilhá-lo perante a chefia e os demais colegas, como uma espécie de punição pelas ­opiniões ou atitudes manifestadas.

Problemas

O assédio moral provoca a degradação do ambiente de trabalho, que passa a comportar atitudes arbitrárias e negativas, causando prejuízos a todos, inclusive ao desempenho dos funcionários, o que acaba por refletir na produtividade da empresa como um todo, bem como aumentar o índice de rotatividade de colaboradores.

 

Uma forma eficiente de prevenção e de redução no índice de rotatividade é a realização de campanhas nas empresas para divulgação das informações sobre o assédio moral, assim como a implantação de programas de melhoria na qualidade de vida no trabalho. O ideal é que o maior número de trabalhadores esteja satisfeito com o ambiente em que estão inseridos, o qual é constituído por relações cotidianas, às quais os funcionários vivenciam.

 

É importante que o setor de telesserviços se reestruture, para que seja realizada uma mudança radical em seu ambiente de trabalho, buscando alternativas para que os seus funcionários confiem nas pessoas para as quais trabalham, orgulhem-se do que fazem e gostem das pessoas com as quais convivem. Dessa forma, que elas possam acreditar que trabalham para uma excelente empresa, permitindo que atitudes como essas façam com que as pessoas envolvidas nesse ambiente consigam produzir o seu melhor trabalho.

 

Para saber mais sobre seus direitos garanta a revista Visão Jurídica clicando aqui!

*Watson Pacheco da Silva é advogado, professor, especialista em Gestão Empresarial e Direito da Empresa, associado do Escritório Tavares, Yamazaki, Calazans e Vieira Dias Advogados, além de membro das Comissões de Direito Empresarial e de Assuntos Tributários e Reforma Tributária da OAB-DF.

Visão Jurídica Ed. 104

Adaptado do texto “Situação constrangedora”